segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

MANCHETE DA FOLHA DA MANHÃ DO DIA 08/02/08

Dengue cresce mais de 900% em Campos Assim como no Rio de Janeiro, os números da dengue em Campos são recordes e expõem a iminência de uma epidemia, que levou a secretaria municipal de Saúde a elaborar um plano de contingência. Lá, os registros de janeiro de 2008 foram 80% maiores que os do mesmo período do ano passado. Aqui o percentual de aumento ultrapassou 950%. Dados do setor de Epidemiologia da secretaria de Saúde de Campos apontam que no mês passado foram confirmados 351 casos, contra 33 em janeiro de 2007.
O aumento dos números da Dengue (recordes) em nossa cidade merece um amplo debate. E a sociedade civil deve ser envolvida nesse debate. Ao menos, para que a população seja conscientizada da necessidade de um maior empenho, no que se refere à prevenção. Mas, gostaria de saber, até por ignorância, para que serve o Centro de Referência da Dengue (bancado com dinheiro público). Outras perguntas que não me fazem calar:
1- não temos um doutor especialista em Dengue, à frente deste Centro, e que é o presidente do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ)?
2- Que promove simpósios, conferências e outros eventos científicos sobre a Dengue em várias cidades, como Búzios e Rio de Janeiro, por exemplo?
3- E os seus conhecimentos não são suficientes para travar o crescimento da doença, tornando “caso eminente de epidemia”? Sabemos que o aumento dos números da Dengue não é uma exclusividade de Campos. No entanto, o aumento desses números em Campos é imensamente maior do que em outras cidades (+ de 900 %), como no Rio de Janeiro. Na verdade, o que se vê é uma incompetência administrativa grande ao se tratar essa questão (dengue). Na cidade nacionalmente conhecida como capital do petróleo, não se ter combustível para abastecer as viaturas de apoio ao combate da doença, é o cúmulo. E o presidente do CCZ e do Centro de Referencia da Dengue, assumir, em rádio local, que desconhecia esse fato, torna o cúmulo em bizarro. Aliás, quem viu um “fumacê” passando pelas ruas de Campos nos últimos meses? Quem viu, ou queira se pronunciar sobre essa questão, pode tecer comentários. Quem sabe não podemos estar começando um debate público, sugerido no início dessas considerações.

5 comentários:

Marquinho do Centro disse...

O presidente do CCZ gosta mesmo é de se auto-promover. Mas a incidência da Dengue é tão alto em Campos que ele resolveu sair um pouco da mídia. Dr. Mídia, é o apelido que deram a ele nos bastidores políticos do calçadão.
Um abraço.
Marquinho do Centro

Anônimo disse...

Esse governo agora esta vindo com Murilo Dieguez e o projeto cara nova.Aliás entra ano e sai ano,entra governo sai governo,e o nome de secretários permanecem os mesmos,para o mal da nossa cidade,são pessoas desgastadas que tiram a oportunidade de idéias novas e sangue novo.FORA MOCAIBER!!!

Abandonados do Jardim Flamboyant disse...

Dr. Mídia lamentou muito que o fotógrafo/colunista tenha saído do matutino campista.
Aliás, lamentaram os dois. Um porque não vai fotografar mais os eventos e o outro porque perdeu um espaço midiático.

Anônimo disse...

O Dr. acento circunflexo quer mesmo é ser secretário de saúde ou presidente da Unimed. Tá doidinhozinho......

brenoben10 disse...

Dizem que o Dr. Mídia certa vez ao abrir a porta da geladeira, a noite, foi flagrado fazendo pose.

Motivo: A luz da geladeira foi confundida por ele com flashes de máquina fotográfica.