quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

DOENÇA CRÔNICA OU DOENTE SEM TRATAMENTO?

Enviado por e-mail de Christian Macedo – 18/12/2007 Há uma situação muito séria configurada em nossa cidade, paciente crônica de dois grupos de vírus agressivos. De um lado o grupo de vírus garotinho, um vírus pequeno criado em 1988, que se alastrou pelo Estado e até parte do país, tendo uma passagem tão agressiva e desastrosa, mas ao ser combatido não foi exterminado, porém diminuiu muito seu poder de agressividade, e este pequeno grupo voltou ao seu corpo de origem, cidade doente, Campos dos Goytacazes. Do outro lado, um grupo de vírus derivado do vírus garotinho, que é o grupo de vírus mutante Arnaldo, que se propagou de forma gigantesca por todo corpo doente, por sua generosidade maléfica.
O primeiro grupo citado desgastou-se por si só, adorado pelas células habitantes deste corpo, quando se propagou para outros corpos se esqueceu de trabalhar pela cidade doente que lhe criou e sustentou, e idolatrado outrora, hoje sofre com o desprezo, a rejeição e o abandono que lhe acompanha. E pior, seu grupo é fraco e repetitivo, não nasce ou surge uma célula nova, só existem perdas e tudo gira em torno de seu domínio.
O segundo grupo citado, deu os primeiros sintomas de desgaste no ano de 2004, quando o vírus mutante Arnaldo enfraquecido por denúncias de corrupção, má administração, etc, lançou um pequenino vírus campista, também derivado do vírus garotinho, alicerçado por seu grupo de vírus mutantes que só reverteram o resultado da eleição quando contrataram mais de 20.000 células novas faltando um mês para as eleições.
Existia um grupinho de vírus de defesa Feijó que cresceu em alguns pontos deste corpo doente fazendo anos e anos a fio, resistência maciça a esses dois grupos anteriores, e que poderia curar o corpo doentio quando teve a oportunidade de se aliar a um grupinho de vírus PT Mackoul, mas pelo que sabemos, esse vírus Feijó não foi hábil para unir forças e dividir poderes. Acabou esfacelado e perdeu a identidade.
As eleições foram anuladas de maneira covarde, desleal, e desequilibrada, pois a cidade doente esperava que se ambos os vírus, tanto garotinho, quanto mutante Arnaldo fossem condenados por usarem os corpos dominados, e o vírus Feijó assumisse o corpo doente, o que não ocorreu por causa da falta de critério do judiciário da cidade. Não houve punição, senão o extermínio do vírus campista, os criadores e alimentadores permanecem intactos. Você confia em justiça? E na justiça eleitoral?
Marcada nova eleição, ambos os vírus tiveram a oportunidade de se reagruparem e os outros dois menores permaneceram com suas vaidades, e o grupo do vírus mutante Arnaldo criou este vírus fraquíssimo que é o vírus Mocaiber, vírus mutante defeituoso, que assumiu interinamente, concretizando-se em 2006 após nova eleição, porém é um vírus com muita facilidade de se relacionar e cooptar outros vírus sem identidade, criou feridas enormes neste corpo doente habitado por corpos estranhos poderosos em si.
O corpo permanece doente e já apresenta sinais irrecuperáveis, não há mais resistência, o quadro é grave, não há propostas novas, o legislativo omisso, não há vírus novos, dinâmicos com vontade de apresentar resistência a este quadro terminal ao qual me refiro. Estamos caminhando para um 2008 amargo, sem perspectivas, com um corpo doente podre, inchado, burocrático, despreparado, campo favorável a proliferação da corrupção.
Por estes acontecimentos, o povo padece, não há referencial, não há exemplos a serem seguidos, não há crédito e nem credibilidade,muito menos esperança. Neste corpo moribundo ocorrerá convulsões de desobediência civil. Nestes quase vinte anos o volume de dinheiro recebido pelo doente foram enormes, mas os investimentos para conter a doença não condizem com este volume. Desemprego assustador, saúde precária, obras defeituosas, administração péssima, desperdício enorme, corrupção total, violência alarmante, educação vergonhosa, esporte morto e cultura zero. Até a morte!

5 comentários:

Manoel Regado disse...

A doença de Campos é mental. O povo não vê que esse time que está no comando a PMCG, há decadas, estão saqueando e quebrando os cofres públicos. Será que o povo foi tão dominado plos vírus, que não que a cidade vive um atraso em desenvolvimento em relação a diversas cidades como Quissamã, Macaé, Rio das Ostras, Cabo Frio. Será que o tal vírus, tirou do povo a noção do valor do dinheiro? 1 bilhão e 500 milhões de orçamento é muito. Infezlimente.

Anônimo disse...

povo enfraquecido,ignorante,faminto,miserável que tem o corpo doente sujeito a qualquer ataque de vírus.

sinara disse...

A realidade esta nesta narração,quem ama Campos tem que lutar para que não morra.quem tem que morrer são os virus.

sinara disse...

A realidade esta nesta narração,quem ama Campos tem que lutar para que não morra.quem tem que morrer são os virus.

Anônimo disse...

Tem uma solução para melhorar a cidade.Russo Peixeiro prefeito e o negro gato Carlito Barbosa na vice.