sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

E O FAROL 2008?
Me parece que os nomes dos artistas que farão parte da programação de shows do Verão 2008 em Farol de São Thomé já estão definidos. Inclusive foi alardeado uma grande economia com a contratação destes artistas em relação ao mesmo período do ano passado. Na parte artística tudo leva a crer que anda indo bem, com boa gerência e feito com antecedência que permite boa organização. Mas e a programação esportiva? Nada ainda foi anunciado, nem mesmo a tradicional Corrida de Santo Amaro. É bom frisar que para que eventos esportivos possam ser bem realizados é necessário tempo aos organizadores para que possam fazer contatos, melhorar a estrutura dos eventos, confeccionar recursos materiais de bom gosto e bem feitos, como: camisas, troféus, etc. Precisam negociar datas e pró-labores com as estrelas das modalidades envolvidas, dentre tantas outras providências. E, no verão a agenda dessa "turma" fica lotada. O alerta que o Blog faz é que hoje já é dia 12 de dezembro. A não ser que os contatos e o calendário esportivo já estejam prontos e costurados é bom os gestores do esporte de Campos agir com mais arrojo e rapidez. Como diz um amigo meu: "No Poder Público pode-se fazer quase tudo, desde que seja lícito". Então mãos a obra.

Um comentário:

Xacal disse...

Caro Vitor,

Bom saber que você retomou as publicações...

Quanto a "economia" dos cachês é bom que se esclareça:

os shows e apresentações afins são dispensados de licitação, em processos conhecidos como inexigibilidade, uma vez que não há critérios objetivos de comparação entre artistas...

Em uma "tecnologia" criada a partir do "muda campos", e com o advento dos espetáculos do Farol, esses processos de inexigibilidade passaram a encampar bem mais que os cachês dos artistas, e incluíram (indevidamente) despesas fixas e licitáveis, como: hotel, deslocamento e toda logística dos eventos...

O que o napoleão da lapa fez, ao mostrar a suposta economia, foi publicar apenas o valor dos cachês e os comparou com os valores pagos pelo (des)governo macabro, que incluem essas despesas, logo os valores tendem a ser discrepantes...

Que se diga:

A inclusão de valores licitáveis junto com os inexigíveis é ilegal...Essa "técnica", como dissemos, não foi "inventada" pelo macabro, embora seu (des)governo tenha abusado dela...

Mas, os valores comparados são meros factóides, e não constituem dados de mesma natureza...

Um abraço...